Archive for the ‘terreiro do paço’ Category

Granada 3

16/01/2017

andaluzia-11

Charles V palace cloister

terreiro do paço visto do rio

03/07/2009
visto do rio, viewed from the river

visto do rio, viewed from the river

terreiro do paço visto do rio

03/07/2009
visto do rio, viewed from the river

visto do rio, viewed from the river

terreiro do paço – 1

01/07/2009

This is an interuption in the normal flow of drawings on site. The main square of lisbon is about to suffer a redesign, controvertial because people think that is too bold. My opinion is the oposit. the fact is that terreiro do paço is a boring square from the point of view of  travel drawing. the main problem is that you never see the river AND the square because you are standing too short. what follows is my proposition as if I was there.

Isto é uma interrupção no tipo normal de posts e resulta da discussão que se tem aberto sobre o terreiro do paço. Do ponto de vista do Desenhador em Viagem, o principal problema do terreiro do paço é que é boooooring e a proposta apresentada só iria agravar essa essa desmaiada natureza.

Porquê? Os seus corpos laterais são demasiado extensos e baixos relativamente à área da praça que ainda por cima obedece a uma estafante simetria. Aquilo que poderia ser uma praça frente a um rio é uma praça frente a uma “fita” de rio uma vez que o horizonte está sempre colocado à altura dos nossos olhos… Para vêr mais rio temos de ir para ao pé dele, deixando em consequência de ver a praça.

A minha proposta consta em subdividir “virtualmente” a enorme praça com árvores de duas espécies emblemáticas da cidade de Lisboa: Palmeiras e Jacarandás. Alinhando as primeiras com as fachadas das ruas do Ouro e da Prata criava-se uma praça dentro da praça e dois largos longitudinais paralelos aos corpos laterais. No canto Nordeste da praça das palmeiras seriam então plantados os jacarandás (glória da fotografia a cores quando florescem e do desenho quando descansam nos seus troncos tortuosos).

Propõe-se também a criação de um passadiço encostado ao corpo Oeste à altura da sobreloja que possa servir de esplanada sobre elevada e de onde a vista do rio (até Palmela) seja então deslumbrante.

Para que tudo isto funcione bem deve ser feita uma intervenção no trânsito que evite os dois trajectos perpendiculares ao rio quer a automóveis quer a transportes públicos. Na rua paralela ao rio, a Norte junto ao arco da rua Augusta, o trânsito deveria ser apenas no sentido Leste-Oeste (da Expo para Belém). Na rua paralela ao rio a Sul deveria ser o apenas o inverso. Criava-se, então, uma “rotunda” de circulação entre o Campo das Cebolas e o Cais-do-Sodré. Neste contexto deveria também ser feito o óbvio, i.e. o prolongamento da linha de eléctricos rápidos do Cais-do-Sodré até à Expo aliviando o trânsito neste percurso e dando ao touriste ligação rápida e cómoda entre os dois principais pólos de atracções da Lisboa ribeirinha.

terreiro do paço – 2

01/07/2009
esquema de tráfego, traffic scheme

esquema de tráfego, traffic scheme

terreiro do paço – 3

01/07/2009
vista aérea, aerial view

vista aérea, aerial view

terreiro do paço – 4

01/07/2009
vista para oest com a estátua, view towards the west with the statue

vista para oest com a estátua, view towards the west with the statue

terreiro do paço – 5

01/07/2009
vista para oeste, view towards the west

vista para oeste, view towards the west

terreiro do paço – 6

01/07/2009
galeria elevada, upper gallery for terraces

galeria elevada, upper gallery for terraces

terreiro do paço – 7

01/07/2009
vista detrás da estátua, viewed from behind the statue

vista detrás da estátua, viewed from behind the statue